Notícias

A PREFEITURA DE PACARAIMA POR MEIO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE REALIZA A CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA A FEBRE AMARELA ATÉ O DIA 24 DE JANEIRO
10 DE JANEIRO DE 2020

Departamento de Tecnologia da Informação — Foto:

Departamento de Tecnologia da Informação — Foto:

A Campanha Municipal de Vacinação contra a Febre Amarela iniciou no dia 06 e prosseguirá até o dia 24 de janeiro de 2020, sendo que nesta data será o Dia D da importante ação, na Quadra Espaço Cultural e Esportivo Thelma de Vasconcelos Tupinambá (Quadra Coberta), das 8h às 17h.

A vacinação é a maneira mais eficaz e segura de prevenir a doença. A vacina é recomendada a todas as pessoas de 9 meses a 59 anos, principalmente aquelas que moram ou vão viajar para áreas com indícios de febre amarela. Está disponível, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), em todas as unidades de saúde, e deve ser administrada pelo menos 10 dias antes do deslocamento para áreas de risco. O SUS oferece gratuitamente a vacina nas Unidades Básicas de Saúde (também conhecidas como Postos de Saúde). Basta apresentar a Caderneta de Vacinação e Cartão do SUS.

As crianças de 9 meses até os 7 anos devem tomar uma dose e reforçá-la, ou seja, tomar uma dose e depois outra entre os 4 e 7 anos. Já os adultos apenas 1 (uma) dose é capaz de imunizar por toda a vida, não havendo mais a necessidade de reforço. A medida foi proposta pelo Ministério da Saúde, que faz a recomendação seguindo orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

A Febre Amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano. Em áreas de mata, os principais vetores são os mosquitos Haemagogus e Sabethes. O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa.

A infecção acontece quando uma pessoa que nunca tenha contraído a febre amarela, ou tomado a vacina contra a doença, é picada por um mosquito infectado, o Haemagogus e o Sabethes.

As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a febre amarela. A medida mais importante para prevenção e controle da febre amarela é a vacinação.

A mortandade de macacos é um importante indicativo da circulação do vírus da febre amarela, uma vez que os macacos também são vítimas dos mosquitos vetores da doença no ciclo silvestre (Haemagogus e o Sabethes). Sendo assim, a morte de macacos deve ser notificada à Secretaria Municipal de Saúde ou a própria Prefeitura de Pacaraima.

O recomendado é o deslocamento de agentes de saúde para essa localidade, para fazerem uma investigação complementar e, caso seja encontrado vestígio desse animal morto, fazer a coleta e encaminhar para diagnóstico laboratorial. O achado de macacos mortos serve de alerta para que os órgãos de saúde pública iniciem campanhas de vacinação. Por isso, além de ilegal, a matança de animais, assim como o envenenamento intencional de macacos são extremamente prejudiciais ao próprio homem.

Por Márcio Coêlho